• Home
  • Sobre
  • Legislação
  • Contato
  • Edit
  • Quem chama a atenção ....

    Vivo formaliza acordo com PayPal

    12/12/2010
     
    Parceria entre as empresas permitirá, em 2011, realizar pagamentos pelos celulares pré e pós-pago da operadora
    do M&Monline
     
      A partir do primeiro trimestre do ano que vem, os 58 milhões de assinantes da Vivo poderão realizar pagamentos por meio do celular através da PayPal, empresa norte-americana de pagamentos online. Trata-se da primeira parceria da PayPal no mundo para atuar em conjunto com uma operadora móvel.

       O serviço estará disponível tanto para o segmento pós-pago quanto para o pré-pago. As transações de pagamentos pela PayPal serão feitas via SMS (mensagem de texto) , o que significa que qualquer usuário, com qualquer tipo de aparelho, pode fazer uso da facilidade. O serviço tampouco exige conectividade à internet.

       Em todo o mundo, as transações móveis da PayPal chegaram a US$ 141 milhões no ano passado e, para este ano, a expectativa é chegar a US$ 500 milhões. A expectativa da empresa é que 5 milhões de pessoas usem o serviço da PayPal nos celulares. A empresa tem 84 milhões de contas ativas em 190 mercados globais e opera com 24 diferentes moedas. No Brasil, tem 2 milhões de contas registradas e faturou, no ano passado, US$ 200 milhões.

    Comissão rejeita primeiras marcas do Rio 2016

    8/10/2010
    Rio 2016 - reprodução
    A escolha da logomarca dos Jogos Olímpicos Rio 2016 terá uma segunda rodada de avaliações. A comissão julgadora que esteve reunida neste final de semana avaliou as propostas apresentadas pelas oito agências finalistas no processo de seleção da marca, mas nenhuma marca conseguiu a pontuação mínima de 96 pontos - um dos itens do edital.

    A possibilidade de ajustes já estava prevista no cronograma de entrega da marca, que será divulgada oficialmente no dia 31 de dezembro na praia de Copacabana, no Rio. Nesta terça-feira, 10, acontecerão entrevistas individuais registradas em áudio, onde a comissão Comissão Rio 2016 irá repassar às agências finalistas as considerações técnicas apontadas pelos integrantes da Comissão Julgadora. As finalistas terão até 27 de agosto para apresentar novas propostas ou realizar ajustes nas marcas apresentadas.

    Estão na disputa as empresas Brainbox Design (PR), Dupla Design (RJ), Future Brand (SP), Gad Design (SP), Soter Design (RJ), Studio Lúmen (PR), Tátil Design (RJ) e Vinte Zero Um (RJ). A Comissão Julgadora é composta de 12 membros reconhecidos nacional e internacionalmente, como previsto no edital. O processo seletivo iniciado em abril tinha 130 empresas.

    Cada uma das finalistas recebeu um pro labore no valor de R$ 10 mil além de diploma de participação. A autora da marca escolhida só será conhecida após validação do Comitê Olímpico Internacional (COI). A agência vencedora receberá mais R$ 40 mil pela criação da marca e assinará contrato de seis meses, com possibilidade de renovação, com o Comitê Rio 2016 para prestação de serviços de design.

    Chile rende recorde de audiência à Globo e a Bandeirantes

    6/30/2010
    A classificação da seleção brasileira para as Quartas de final da Copa do Mundo foi comemorada por toda a população do País e também pela Globo e pela Bandeirantes, que mais uma vez conseguiram bons índices de audiência.




    A partida contra o Chile, que terminou com a vitória de 3X0 para o Brasil, teve início as 15h30 e atraiu quase que toda a audiência dos televisores ligados. Durante o jogo, a Globo registrou a maior média de audiência desde que a bola começou a rolar na África do Sul - foram 45,8 pontos de média no Ibope. No jogo anterior, Brasil X Portugal, o empate em 0X0 da seleção havia rendido a emissora uma média de 43,6 pontos.

    A audiência da Band caiu um pouco em relação a última partida da seleção, mas manteve a média dos jogos da Copa. O confronto entre Brasil X Chile rendeu à emissora um ibope de 12,7 pontos. No jogo da sexta-feira 25, a Band havia alcançado a média de 13 pontos.

    As audiências das duas emissoras (as únicas de TV aberta no Brasil a possuírem os direitos de transmissão do Mundial) vem se mantendo no mesmo patamar desde o início da Copa. As médias dos jogos da seleção brasileira variam entre 10 e 13 pontos na Band e entre 40 e pouco mais de 45 para a Globo.

    Kaiser e Skol na mira do Conar

    6/24/2010
    Comerciais da Copa sofrem denúncias de consumidores e da concorrência e podem ficar fora do ar.

    Os comerciais de cerveja estão no alvo das entidades de proteção ao consumidor. Nessa semana, a Ambev e a Heineken foram notificadas a respeito dos filmes publicitários da Skol e da Kaiser, que têm como tema a Copa do Mundo. O da marca de cerveja da Heineken, inclusive, está proibido de entrar no ar.

    A punição à Kaiser aconteceu por conta de uma liminar movida pela sua principal concorrente, a Ambev. Segundo a denunciante, o comercial desrespeitava claramente a cerveja Brahma e, por isso, poderia prejudicar a imagem da Ambev. O Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) recebeu a denúncia e o relator julgou a reclamação procedente, enviando uma liminar imediata para que a veiculação do filme fosse suspensa.

    O comercial da Kaiser, criado pela Fischer+Fala, entrou no ar na última sexta-feira 18 e era estrelado pelo craque Romario. Ambientado em um bar, o filme mostrava o ex-jogador comentando sobre a seleção e sobre Dunga. Ao falar do técnico, Romário defendia o comandante da seleção brasileira, relembrando os tempos em que jogaram juntos na Copa de 94. Ao terminar seus comentários, o craque diz que o único defeito de Dunga é a cerveja que ele escolheu. A alfinetada faz uma alusão clara à Brahma, patrocinadora oficial da seleção brasileira para a qual o técnico do Brasil já fez diversas campanhas.

    Segundo o Conar, a entidade só concede uma liminar antes de julgar o caso nas situações em que considera que a veiculação da publicidade pode denegrir a imagem da marca que fez a denúncia - nesse caso, a Ambev. O julgamento do caso deve ocorrer somente em julho. Enquanto isso, a Kaiser tem a recomendação explícita do Conar de não voltar a exibir o filme. A Heineken garantiu a reportagem de M&M Online que fará um comunicado oficial sobre o assunto.


    Os argentinos da Skol

    A Skol também é alvo de denúncias no Conar. Os dois comerciais exibidos pela marca de cerveja há mais de um mês foram alvo de críticas de alguns consumidores e levaram o Conselho de Autorregulamentação Publicitária a abrir um processo, há duas semanas.


    Nesse caso, a crítica caiu sobre a maneira como os ‘hermanos' são retratados nos comerciais. Em um deles, alguns argentinos tentam se adequar ao modo de torcer dos brasileiros. Para isso, eles sambam, cortam os cabelos e vestem a camisa amarela. No outro comercial - que divulga as latas falantes da Skol - os argentinos sofrem ao ouvir a embalagem de alumínio gritar "Pentacampeão", um grito da torcida brasileira e, no final, serem chamados de ‘maricón' pela própria latinha.

    Nesta terça-feira 22, o Ministério Público Federal de Minas Gerais também entrou na questão, enviando uma recomendação a Ambev que pedia a suspensão do filme. O texto do órgão público, porém, também pedia para que as latinhas que dissessem a palavra "maricón" fossem retiradas do mercado. Acontece, porém, que esses dizeres foram usados somente no comercial da F/Nazca e os cinco tipos diferentes de latas falantes não mencionam essa palavra, dizendo apenas mensagens de torcida para o Brasil.

    Procurada pela reportagem de M&M Online, a Ambev esclarece que os dois filmes não estão mais no ar desde o dia 14 de junho. O Conar, por sua vez, explica que, como o julgamento do processo ainda não ocorreu, não existe uma proibição para que a Skol veicule o comercial.

    Os filmes não aparecem mais na mídia, mas ainda podem ser vistos pelo YouTube.

    O primeiro é o da Kaiser, com Romário:

    Assista também aos dois filmes da Skol, que usam os argentinos como tema.
    O primeiro é o da lata falante:


    E, o outro, o dos "Argentinos no Samba"

    As marcas mais quentes do mundo

    6/16/2010
    O Advertising Age publica nesta semana a edição 2010 de seu estudo World's Hottest Brands, com as 30 marcas mais quentes do mundo divididas em três categorias: globais, regionais e locais.

    O Brasil está representado por Natura e Havaianas nas dez regionais escolhidas por serem as mais reconhecidas em seus mercados domésticos e em fase de expansão para outros países. A Azul Linhas Aéreas Brasileiras, por sua vez, aparece entre as dez locais com cases mais inovadores. Entre as globais, em ordem alfabética, aparecem BMW, Coca-Cola, Facebook, H&M, Ikea, McDonald's, Nike, Nintendo Wii, Pampers e Tesco.

    No relatório do AdAge que explica a inclusão de todas as marcas, é ressaltado o crescimento de 130% no volume de vendas de Havaianas na Europa e nos EUA no último trimestre de 2009 e o fato de 68% das pessoas que declaram conhecer a marca já terem comprado ao menos um par das sandálias.

    Para Natura, contou o share de 22,3% no mercado brasileiro de cosméticos e a primeira aparição entre as cem empresas globais mais sustentáveis da Innovest Strategic Value Advisors. A Azul, presidida pelo brasileiro David Neeleman, bateu em 2009 o recorde mundial de passageiros transportados no primeiro ano de atividade: dois milhões. Entre as marcas locais apareceram duas argentinas: o banco Hipotecário e Mama Lucchetti.

    A informação é da coluna Em Pauta, publicada na edição 1413 de Meio & Mensagem, que circula com data de 14 de Junho de 2010.

    Os cargos e salários do mercado digital

    A falta de profissionais qualificados no mercado de comunicação digital é latente e motivo de reclamação constante entre os empregadores do setor. Vagas demoram a ser preenchidas e, quando finalmente a sorte brilha, outro desafio toma forma: discutir salário.

    A lei da oferta e da procura, via de regra, faz inflacionar a remuneração de quem tem bagagem e compreende as particularidades que regem o universo da mídia digital. O problema é ainda pior quando se trata de profissionais mais experientes sondados para cargos que exigem maior responsabilidade.

    Visando equilibrar esse cenário e, por consequência, ajudar no crescimento sustentável do mercado, a Associação Brasileira das Agências Digitais (Abradi)acaba de finalizar sua primeira Pesquisa de Cargos e Salários.

    Ao reunir dados de agências de todo o Brasil, a entidade espera instituir pontos de partida para que nenhuma das partes envolvidas em uma negociação saia lesada. A entidade prepara ainda a reedição do Censo Digital lançado em 2009 e uma pesquisa sobre os principais serviços ofertados pelo mercado e seus respectivos modelos de contratação. "Hoje vivemos um risco de apagão na capacidade de produção das agências digitais muito em razão da falta de profissionais e da supervalorização dos que estão no mercado. Ter uma referência objetiva de salários pode ajudar a trazer o setor um pouco mais para a realidade", comenta César Paz, presidente da Abradi.

    No levantamento foram analisados também os regimes de contratação praticados pelo mercado. De acordo com Paz, foi detectada uma tendência de diminuição no número de profissionais terceirizados e aumento nas contratações com carteira assinada. Além dos salários, a pesquisa levou em conta ainda quais os principais benefícios pagos aos funcionários do setor. O vale-refeição, por exemplo, é oferecido por 74,3% dos empregadores e o vale-transporte por 73,3%. Já a participação nos lucros é benefício concedido em apenas 5,9% dos casos. "Foi bastante difícil organizar os dados e convencer as agências a participarem, mas a tendência agora é que a cada ano a gente consiga revelar qual o retrato atual desse setor", acredita Paz.

    Distorções inevitáveis

    Segundo Roberta Rivellino, diretora para a América Latina da The Talent Business, os resultados da pesquisa estão condizentes com o que vem sendo visto no mercado embora algumas distorções tendam sempre a aparecer. Para a executiva - que trabalha justamente no recrutamento de profissionais -, o estudo pode ajudar as agências a reterem seus talentos, uma vez que a contratante poderá tomar por base as diferenças entre os valores mínimos e máximos na hora de valorizar a mão de obra formada dentro de casa. "Com esse tipo de referência o empregador pode avaliar o quão perto do máximo ele quer e pode chegar para tentar evitar a constante troca de funcionários. Saber como o vizinho está se comportando só ajuda esse mercado que está em ritmo acelerado de crescimento", acredita Roberta.

    O aquecimento do mercado é, inclusive, sentido na quantidade de requisições que a empresa de recrutamento vem registrando nos últimos anos. "Em 2008 apenas 10% das recolocações que fizemos tiveram como destino o mercado digital. No ano passado esse número cresceu para 30%, sendo que a entrada de novas empresas de internet no Brasil não para de acontecer", coloca Roberta. "A falta de talentos, porém, não é um problema exclusivo do Brasil. Além de termos problemas de qualificação por aqui, ainda somos exportadores de mão de obra", acrescenta.

    Para essa primeira edição da pesquisa - que levou cerca de sete meses para ser finalizada - foram mapeados os 17 cargos mais recorrentes no mercado e analisadas todas as regiões do País. No total, 120 agências responderam ao questionário, sendo que cerca de 10% delas não fazem parte da Abradi. A proposta é que ela seja repetida todos os anos e inclua funções ainda não analisadas e outras que ainda possam surgir.

    Publicidade do Alpino é suspensa pela Anvisa

    5/19/2010
    Por Bárbara Sacchitiello - Atualizada às 18h47
    18 de Maio de 2010 às 11:21 do MMOnline

    A Nestlé está proibida de veicular qualquer anúncio ou campanha publicitária da bebida láctea Alpino Fast. A determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que foi publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira 18, já está em vigor.

    A punição é a resposta dada pelas autoridades à "polêmica do Alpino", que ganhou força e repercussão na mídia na semana passada e acabou deixando a fabricante em uma saia-justa. Tudo começou quando a Nestlé recebeu a notificação de que estaria sob vigilância dos órgãos responsáveis sob s suspeita de induzir os consumidores ao erro ao vender o produto Alpino Fast - que, apesar de ter o nome e o rótulo do famoso bombom, continha, na embalagem, a inscrição "Não contém chocolate Alpino", o que motivou a revolta e reclamações de alguns consumidores.

    A princípio, a Nestlé se defendeu alegando que o produto continha aroma e sabor similar ao chocolate e que havia colocado a inscrição exatamente para não gerar confusão. Depois, porém, respondeu a reportagem de M&M Online alegando que a bebida láctea contém, sim, massa de Alpino, misturada a outras substâncias similares. Logo depois, a companhia ainda enviou um novo comunicado, informando que, após a polêmica, havia decidido tirar a inscrição "Não contém chocolate Alpino" das embalagens. Os novos rótulos já devem chegar ao mercado em algumas semanas.

    Agora, pela decisão da Anvisa, a companhia fica proibida de fazer propaganda do produto. No momento, porém, a Nestlé não mantinha na mídia nenhum comercial ou anúncio do Alpino Fast. Quando foi lançado oficialmente no mercado, em março, a marca entrou na mídia com uma campanha publicitária, assinada pela McCann Erickson (atual W/McCann). Na ocasião, a linguagem dos anúncios eram voltados aos jovens, público alvo da linha Fast - que, além do Alpino, também possui as bebidas nos sabores Nescau e Neston.

    O texto da Anvisa especifica que ficam suspensos os anúncios que podem induzir o consumidor ao acreditar que o produto possua em sua composição o chocolate Alpino, especialmente aquelas veiculadas no site www.nestle-fast.com.br. Apesar da ordem, o portal da linha Fast ainda permanece no ar.

    Resposta

    No final da tarde desta terça-feira 18, a Nestlé divulgou um comunicado no qual classifica a medida da Anvisa como um "absurdo" e promete "procurar os instrumentos cabíveis para fazer valer o seu direito.


    Leia também:

    - Nestlé defende que Alpino é Alpino

    Lata Falante da Skol embala torcida brasileira

    5/16/2010
    Novo comercial criado pela F/Nazca mostra latinha da marca de cerveja da Ambev tirando onda com argentinos

    Por Fernando Murad do MMOnline
    14 de Maio de 2010 às 11:22


    O portfólio de embalagens da cerveja Skol, da Ambev, ganha um reforço que promete fazer barulho. Trata-se da Lata Falante da Skol, produto igual ao convencional, mas que, ao invés de cerveja, carrega um chip ativado por um sensor de luz que dispara mensagens sonoras para o consumidor (veja os recados da latinha abaixo). A novidade faz parte da estratégia da marca para se aproximar da torcida brasileira durante a Copa do Mundo da África do Sul, que começa em 11 de junho.

    Elas serão distribuídas durante a promoção "Matraca", que terá o suporte de uma campanha da F/Nazca. A cervejaria importou 147 mil latinhas falantes que serão colocadas à venda aleatoriamente junto com o produto tradicional na proporção de uma falante para cada 2.716 normais. Para ganhar, o consumidor precisa ter a sorte de encontrar a lata premiada em um pack. Quem não gostar do brinde, poderá entrar em contato com o SAC para receber uma embalagem normal do produto.

    A chegada da lata falante ao mercado conta com um comercial, que entra no ar sábado, 15, que dá continuidade ao filme dos argentinos no samba. A produção mostra um grupo de amigos argentinos no sofá vendo um jogo de futebol quando um deles fica intrigado ao achar uma Skol no balde de cerveja. Quando o amigo explica que se trata de uma bueníssima cerveja brasileña, ele resolve experimentar.

    Quando o hermano abre a lata, ela começa a gritar "Brasil! Lê lê ô!". Irado, o hermano tenta afogá-la no balde, enquanto a cerveja emenda "pentacampeão!". A locução em off explica: "Chegaram as Latas Falantes da Skol. São milhares de latas espalhadas por aí. Torça para encontrar a sua". Na sequência, a imagem corta para uma fábrica da cerveja, onde um funcionário avisa ao chefe que um carregamento foi por engano para o país vizinho.

    O plano de mídia inclui ainda outdoor em nove capitais, mobiliário urbano falante em Salvador e no Rio de Janeiro (com lata 3D com sensor de proximidade e que dispara mensagens no intervalo mínimo de 10 minutos), peças de comunicação em 180 lojas de varejo e ações na internet. Dentre elas, os internautas terão à disposição uma ferramenta que permitirá criar mensagens especiais de voz para latinhas virtuais que poderão ser enviadas por email para os amigos.

    O projeto vem sendo elaborado há um ano com o intuito de marcar a presença da Skol durante um importante evento esportivo de uma maneira alinhada à sua comunicação. "O ponto principal da ação é a preocupação da marca de sempre buscar formas diferentes de atingir o público. Ela é vencedora no sentido de trazer uma novidade que fala com os consumidores da maneira divertida que Skol sempre se propõe", conta Guilherme Panella, gerente de trade de Skol.

    Os cinco recados da lata
    . Nooooossa! Eu sou louco por mulher de camisa amarela. Vem cá, me diz uma coisa: Cê vem sempre aqui? Ou só de 4 em 4 anos? Ô delícia, quer tomar uma Skol lá em casa?

    . Oi. Chega mais pertinho que eu quero te contar um segredo. Vem. Não, coladinho vai. Mais. Vai. Vem, vem. Ô, que é isso rapá? Tá me estranhando? Chega esse ouvido pra lá e vai lá pegar uma Skol pra gente ver esse jogo, vamo. Curiosinho.

    . Lá vai! Preparou, saiu do sofá, driblou a mesinha de centro, pedalou no pufe, correu até a geladeira, pegou uma Skol, ajeitou, jogou bonito. Lá vem a latinha! Pelo alto! Pegou efeito. Bem no ângulo da minha mão direita! Skoll!

    . Olele-olala, olele-olala quem não trouxe Skol não vai ter onde sentar. Olele-olala fica de garçon até o jogo terminar.

    . Aí atenção, é o seguinte: O esquema hoje é 4-4-2. Aas quatro mulheres aqui comigo no sofá. Os quatro marmanjos vão pra lá ficar largados no chão. E os dois manés ali indo e voltando pra trazer Skol pra galera. Prepara, vai.

    Veja o filme:

    Vazamento traz problema de imagem para a BP

    5/05/2010
    British Petroleum luta para salvar vidas e recuperar imagem após vazamento de óleo no Golfo do México

    Enquanto a BP se vê diante de milhares de galões de petróleo que vazaram no Golfo do México no dia 20 de abril, a empresa enfrenta também uma grande crise de imagem.
    A BP havia feito anteriormente uma campanha de marketing bem sucedida no qual se mostrava como amiga do meio-ambiente. Mas essa imagem pode agora se virar contra a empresa, pois ela passou a imagem de estar despreparada para uma catástrofe dessa magnitude. E isso coloca a publicidade em desacordo com a realidade.



    A ação "Além do Petróelo", lançada há 10 anos pela Ogilvy, era vista como um caso de estudo sobre reposicionamento de marca. E, ironicamente, a empresa foi nomeada recentemente como uma finalista em uma premiação federal para "empresas com grande segurança na prevenção da poluição".

    Essa desconexão é um choque mesmo para especialistas em crises, como Harlan Loeb, diretor de gerenciamento de crise da Edelman nos EUA. "Esse tipo de evento deveria ser claramente contemplado nas simulações de crises", afirmou. "A empresa não deveria se demonstrar despreparada".

    Aparentemente, a empresa seguirá o roteiro adotado pela Toyota recentemente, na crise dos recalls. Para Loeb, a BP é uma empresa centralizada, como a montadora japonesa, o que tende a resultar em um processo de tomada de decisões não eficiente quando a crise explode.

    Loeb diz ainda os indícios de que a empresa estaria oferecendo US$ 5 mil para residentes para não entrarem com processo contra ela traz uma mensagem com distúrbios, neste momento inicial. "Quando o público vê a companhia liderando um processo para limitar sua exposição legal, não é algo bom.

    Para Gene Grabowski, a mensagem deveria ter sido mais focada no tamanho do desafio e na maneira como eles estavam trabalhando em conjunto com o governo, a Guarda Costeira e a Marinha. "Mas eles preferiram comunicados dizendo que eles não poderiam gerenciar a situação e que buscariam ajuda de onde quer que ela viesse".

    A administração de Obama também demorou para reagir e manteve o foco mais na BP do que na resposta do próprio governo. Membros do gabinete, no domingo, foram a talk shows para enfatizar a responsabilidade da BP.

    Para Grabowski, a empresa precisa ter transparência. "A BP tem que mostrar que é uma organização de pessoas que estão trabalhando duro para nos proteger", concluiu, lembrando que as redes sociais devem ser amplamente utilizadas. "A BP está em uma situação de guerra e precisa de todo o esforço para vencê-la".

    Do Advertising Age.

    Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert nas "preliminares"

    4/29/2010

    Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert apareceram em cenas que remontavam a preliminares, em vídeo que, supostamente, teria vazado na web. As cenas, que foram bastante comentadas na imprensa, na realidade eram um viral da K-Y, marca de lubrificante íntimo da Johnson & Johnson. A iniciativa estimula uma boa massagem, momentos de cumplicidade, carinho e prazer a dois.



    Criada pela BorghiErh/Lowe, a campanha oficial, lançada nesta terça, 27, apresenta o novo conceito da marca: "‘K-Y. Viva o prazer a dois". Além do viral, o viral que já atingiu mais de 1 milhão de views, segundo a agência, o plano de mídia conta ainda com filme, anúncios em revistas e de materiais no ponto-de-venda.

    O hotsite (clique aqui), desenvolvido pela agência Mídia Digital, apresenta dicas para o antes, durante e depois dos momentos íntimos, além da exibição do teaser.
    A criação da campanha é de Myla Verzola e Fernanda Salloum, com direção de José Henrique Borghi, Erh Ray e Fernando Nobre. 

    F/Nazca vence GP do Prêmio ANJ

    4/28/2010

    27 de Abril de 2010 às 18:24 por MM Online

    Agência foi premiada por peça criada para Nike e veiculada nos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo


    Com a peça "Faça a diferença", criada para Nike, a F/Nazca S&S conquistou o Grand Prix do 8º Prêmio ANJ de Criação Publicitária, promovido pela Associação Nacional de Jornais. O anúncio foi publicado nos jornais Folha de S. Paulo e O Estado de S. Paulo em 29/11/2010 e já havia vencido a etapa regional São Paulo da premiação. Os profissionais vencedores - os criativos Pedro Prado e Rodrigo Castellari e os mídias Fernanda De Lamare e Bruno Flocke - ganharam pacotes com passagens, hospedagens, inscrições para Cannes 2010, além de ter o anúncio inscrito pela ANJ para concorrer no Festival.



    Para a edição deste ano do Prêmio ANJ foram recebidas 941 inscrições, divididas entre as regiões Norte e Nordeste, Sul, São Paulo, Centro Oeste e os Estados do Espírito Santo e Minas Gerais e Rio de Janeiro. O GP foi escolhido entre os vencedores das cinco etapas regionais. 

    Foram eles:
    Região Sul: "Era uma vez. Velocidade", da Terremoto Propaganda (de Curitiba/PR) para Ecovia. Criativos: Ricardo Gandolfi e Fabrizio Cristo / Mídias: Emily De Muzio e Rafael Marques. Veiculado na Gazeta do Povo (PR) em 23/02/2010.

    Rio de Janeiro: "Cidade Abençoada", da Heads Propaganda para o Shopping Rio Sul. Criativos: Flávio Medeiros e Fernando Maciel / Mídias: Ana Lopes e Giovanna Victorazzo. Veiculado em O Globo (RJ) em 03/10/2009.

    São Paulo: "Faça a diferença", da F/Nazca S&S para Nike. Criativos: Pedro Prado e Rodrigo Castellari / Mídias: Fernanda De Lamare e Bruno Flocke. Veiculado na Folha de S. Paulo e em O Estado de S. Paulo em 29/11/2010.

    Região Norte e Nordeste: "Temaki", da Leiaute Comunicação (de Salvador/BA) para Sogge Temakaria. Criativos: Lucas Reis e Rodrigo Soares / Mídias: Claudio Freiras e Fernando Saback. Veiculado no Correio* (BA) em 09/06/2009.

    Região Centro Oeste e estados do Espírito Santo e Minas Gerais:"Reflorestamento", da Contemporânea (de Vitória/ES) para o governo do estado do Espírito Santo. Criativos: Luis Tauffer e Karoline Boone Malavazi / Mídias: Wertsem de Faria e Anderlânia Pereira. Veiculado em A Gazeta de Vitoria (ES) em 12/03/2009.

    Rádio sofre escassez de boas ideias

    4/26/2010

    Em uma mídia que depende só dos ouvidos, jurados dizem ser praticamente impossível valorizar o medíocre

    Por Felipe Turlão do MMOnline
    23 de Abril de 2010 às 12:37

    Muitos profissionais que defendem e amam a publicidade em rádio dizem que é possível esconder uma ideia fraca em outras categorias, com uma grande produção que impressione mais os olhos do que os cérebros. Entretanto, no caso de uma mídia que atinge tão somente os ouvidos, a missão de valorizar o medíocre se torna praticamente impossível.

    Os festivais têm premiado cada vez menos peças criadas para o rádio. Cannes, por exemplo, deu apenas 15 Leões no ano passado, diante de 1,1 mil campanhas inscritas, o que totaliza um índice de aproveitamento de apenas 0,01%. No Wave 2009, por sua vez, foram seis Ouros, igualitariamente distribuídos entre Argentina, Brasil e Colômbia. No entanto, o júri liderado pelo peruano Juan Carlos Gomez de la Torre, da peruana Circus, optou por não conceder nenhum Grand Prix.

    A conclusão natural é a de que uma categoria que necessita de boas ideias está sentindo falta delas. E alguns dos jurados da edição 2010 do Wave Festival in Rio concordam com essa tese. "Sou fã de rádio, mas a quantidade de talento empregada em comerciais, anúncios e até na internet é infinitamente superior", contabiliza Paulo Castro, sócio e diretor de criação da Staff. "Sinceramente, não entendo o porquê disso; afinal, no rádio, o custo de produção não é uma barreira relevante. Entretanto, está claro que o nível de tempo, dedicação e talento dirigido a ele é muito menor", completa o executivo.

    "Está cada vez mais difícil inovar nessa mídia", concorda Samuel Estrada, vice-presidente de criação da McCann Erickson da Colômbia. Para ele, a saída está em buscar o que ele chama de "valor puro das ideias". "Aí, sim, encontraremos grandes peças. Esta é, sem dúvida, uma das mídias que mais desafiam os criativos, porque eles precisam voltar ao básico, sem truques, sem pirotecnia visual. É só briefing, lápis, caderno e a pessoa. E isso é o mais lindo do rádio", analisa.

    Para Diego Livachoff, diretor geral de criação da argentina Publicis Graffiti, o meio precisa mesmo das grandes ideias, porque suas limitações são claras. "O rádio tem de ter recursos e ideias muito novos para impactar. Às vezes, precisa somente de uma boa atuação de um ator, ou de um texto, ou de um chiste bem executado", aponta. 

    Barreira idiomática
    Desde que o rádio entrou em festivais internacionais de publicidade, se fala sobre a barreira idiomática, mas é inevitável voltar a tocar nesse assunto que ajuda a limitar ainda mais a potencialidade de uma peça. Para Estrada, da McCann colombiana, a categoria precisa lidar com esse desafio adicional. "Dependemos meramente do que ouvimos, e as diferenças de língua atuam de maneira importante para que muitas peças não tenham força suficiente", analisa. 

    Para Castro, da Staff, essa característica tem feito a categoria perder um pouco de seu apelo regional. "As ideias em rádio são mais universais, ao contrário de outras categorias. Em Film, por exemplo, a Argentina tem uma escola bem nítida, assim como o Brasil. Mas isso não ocorre em rádio, no qual é difícil identificar de onde vem o trabalho".

    Um exemplo dessa tendência é o Grand Prix do ano passado em Cannes, que foi para a série "Dancer", "Dog" e "Ferret", da Net#Work BBDO de Johannesburgo, na África do Sul, para a Virgin Atlantic Airline, que apostou em histórias sobre insanidade para divulgar uma promoção de passagens da primeira classe a preços de classe executiva. Esse humor poderia ter vindo dos Estados Unidos, do Reino Unido ou, com algumas adaptações, até mesmo do Brasil.

    De qualquer forma, os jurados se dizem preparados para a missão de buscar as melhores ideias em Radio. "O rádio é uma mídia às vezes esquecida, ou com pouco atrativo, mas isso pode se transformar em uma vantagem. Deveríamos pensar que, por trás desse vazio, há muitas oportunidades", ressalta Livachoff, da Publicis Graffiti. 

    Ele participa do Wave pela primeira vez e se diz entusiasmado com o Festival. Estrada, da McCann, também fará sua estreia. "Estou curioso para conhecer o Wave e entender como ele conseguiu, em tão pouco tempo, conquistar o terreno que tem hoje. Além disso, claro, quero aprender e saber o que meus colegas da América Latina estão fazendo", afirma. No Wave, o júri da área será presidido por Eduardo Novión, diretor executivo de criação da 180 Grados, do Chile.

    Devassa volta à mídia

    4/17/2010






    Filme estreia nesta sexta-feira, 16, na Rede Globo, e agradece aos consumidores pelo sucesso da campanha anterior


    Por MMOnline




    O grupo Schincariol continua aproveitando o sucesso da estratégia do lançamento da cerveja Devassa Bem Loura, estrela pela socialite Paris Hilton. Agora, a marca estreia nesta sexta-feira, 16, um novo filme, criado pela Mood.

    A produção, agora, agradece e homenageia os consumidores pela atenção à novidade. Segundo a companhia, mais de dois milhões de pessoas assistiram na internet o filme de lançamento, que foi alvo de suspensão liminar pelo Conar e que acarretou em grande discussão na mídia nacional.



    Viral da Marvel conta com site para StarkExpo

    4/12/2010



    A Marvel acaba de lançar mais uma iniciativa viral para “Homem de Ferro 2″, é o site da Stark Expo 2010, que conta também com página no Facebook.


    Parte do roteiro do filme envolve justamente a Stark Expo, uma feira científica e industrial internacional, iniciada pelo pai de Tony Stark, Howard Stark, nos anos 1960. Um mistério na edição de 1974 é peça chave na história de “Homem de Ferro 2″.

    Além de imagens e um mapa interativo da Stark Expo, o site traz uma contagem regressiva que finaliza justamente no dia da estréia do filme, 7 de maio. Talvez não aconteça nada mais além disso, mas certamente é um ótimo material para os fãs do personagem.

    É interessante notar também a quantidade de marcas no rodapé da página, provavelmente todas que estarão com product placement dentro do filme, dentre elas Audi, Burger King e SEGA.
    A AccuTech, uma subsidiária da Stark Industries, apresenta o HazTech Exoskeleton, uma armadura robótica para permitir que qualquer um se torne um “homem de ferro”. Além disso, a Marvel publicou hoje uma carta oficial do Tony Stark, revelando porque decidiu trazer a Stark Expo de volta.

    Com informações do Brainstorm9.

    Novo filme da AlmapBBDO para VW

    Olá, PQDs!

    Fim de semana compriiiiidoo, né?!

    Depois de quase fundir a massa cefálica com algumas aulinhas no mestrado, me vi pensando em meio ao frio da noite de sexta no que realmente quero ... Quais seriam minhas pretensões enquanto pessoa? Filhos? Futuro Acadêmico? Dono de casa?

    Decidi que quero tudo, afinal só se é ser humano na Terra, uma vez.

    Depois de algum tempo sem produzir para a VW, das Auto, a AlmapBBDO desenvolveu outra campanha que promete mexer com o mercado automobilístico. A campanha é do CrossFox 2010/2011. Em cores diferenciadas o veículo foi comparado a um 'filhote' de tigres.

    Pela analogia simples, a Volkswagen vai tentar de tudo para trabalhar o espírito selvagem por trás da África do Sul. Produzida por Fat Bastardats/Moviemakers na África do Sul - TIGRES.


    Tiger Woods volta à mídia em filme da Nike

    4/09/2010
    Para mostrar que nem os escândalos expostos pela mídia foram suficientes para abalar a sua relação com o golfista Tiger Woods, a Nike criou uma nova campanha para tentar resgatar a imagem do atleta após um período de turbulências.



    A notícia, publicada pelo Wall Street Journal, relata que o comercial estava programado para ser exibido nessa quarta-feira 7, nos canais de TV "Gols Channel" e ESPN, nos Estados Unidos. O filme mostra o rosto do golfista em primeiro plano enquanto uma narração, com a voz de seu pai já falecido, Earl Woods, fala a respeito da importância da responsabilidade na conduta humana. "Quero saber em que você estava pensando, quero saber o que sentia. Aprendeu algo?", diria o pai de Tiger Woods, no comercial.

    O novo filme publicitário é a primeira campanha em que o golfista aparece após os escândalos ocorridos nos últimos meses, que trouxe à tona vários casos extraconjugais do atleta e culminou até em uma internação clínica, para tratamento de dependência sexual. Na ocasião dos escândalos, Tiger Woods foi acumulando perdas de alguns dos contratos de patrocínios que possuía, uma vez que era um dos atletas mais utilizados em campanhas publicitárias pelo mercado norte-americano.

    Apesar disso, a Nike foi uma das poucas patrocinadoras a manter o seu contrato com Woods, que retornou aos campos de golfe nesta semana após uma paralisação de cinco meses. 

    Com informações da Efe.

    Internet passa revista e já é terceira mídia no mundo

    Estudo da Zenith constata que a mídia online abocanhou um pedaço maior da verba mundial do que as revistas em 2009, e já inicia aproximação aos jornais

    08 de Abril de 2010 às 14:11 do M&M Online
    Já não é novidade dizer que os investimentos em publicidade na internet seguem crescendo a taxas bem acima da média das outras mídias.

    Agora, o Zenith Optimedia apontou que em 2009, pela primeira vez, a mídia online ultrapassou as revistas no ranking, atraindo investimentos de US$ 55 bilhões em todo o mundo. Com isso, a internet já é dona de 12,6% do bolo publicitário no planeta, ficando atrás apenas dos jornais, com 23,1% e da televisão, com 39,4%. As revistas estão agora em quarto lugar, com 10,3%.

    A projeção futura aponta ainda que a mídia online deverá se aproximar dos jornais já em 2012, ano no qual deverá atingir o share de 17,1% do bolo, contra 19,4% dos impressos. Naquele ano, a internet deverá atrair investimentos de US$ 83,9 bilhões, contra US$ 95,4 bilhões dos jornais e US$ 199,7 bi da televisão. Esta última mídia continuará mostrando sua força, com participação de 40,6%, que será um pouco superior à atual.

    Toada positiva
    De resto, a publicidade mundial parece ter voltado aos trilhos. As previsões do Zenith indicam que o mercado como um todo deverá crescer 2,2% em 2010 na comparação com 2009, ano que teve uma queda próxima a 10%. A expectativa é que os investimentos cheguem à casa de US$ 456 bilhões em todo o mundo neste ano e que, para os anos seguintes, o mercado cresça mais 4,1% em 2011 e outros 5,3% em 2012.

    No estudo anterior, a Zenith havia apontado uma possibilidade de crescimento mundial de apenas 0,9%, o que marca o segundo relatório consecutivo com revisão para cima, após 18 meses revisando para baixo as expectativas.

    Se o estudo for dividido por regiões, a América Latina surge novamente como destaque, já que após um 2009 com um crescimento irrisório de 0,4%, 2010 promete uma alta de 9,3%, o que fará a região movimentar cerca de US$ 33 bilhões, com possibilidade de chegar a US$ 38 bi em 2012.

    A região com mais dificuldades ainda será a América do Norte, e a publicidade dos Estados Unidos deverá fechar com receitas abaixo de 2009, cerca de 2% menos. O mercado europeu deverá crescer 0,4%, enquanto a Ásia subirá na casa de 5,9%. Na verdade, se o Japão for retirado da lista asiática, o índice salta para 10%, o que colocaria a região como a melhor de 2010.

    O verdadeiro 'TBC

    4/08/2010
    Com 13% de bateria ... mas acho que dá ....

    Olá, PQDs!

    Esclarecendo ... PQDs (Pessoas que me DEVEM) ...

    Esclarecido, já posso continuar. Depois de um dia inteiro carregando câmeras, luzes e ação, muita ação na clínica de fisioterapia, com mesa eletroestática, espaldares e etc.. (olha como eu falo dificil, foi a próxima loira do BBB quem me ensinou). Ontem, basicamente, fiquei detonado com as gravações nos laboratórios da casa e na clínica que cheguei em casa pra comer esfiRRas do Hobis (Quem não tem o Habib`s se vira com o que dá) e dormi no sofá durante a estréia de "V", no Warner Channel - digna por sinal.

    Hoje foi praticamente o lançamento do iG, seis horas para o fim do mundo. Quando foi lançado como Internet Grátis pelos donos da Mandic, em 2000,  o logotipo e a campanha foram criados e colocados em execução em tempo recorde, da noite pro dia literalmente.



    Com um cachorro da raça West Highland White Terrier, a campanha tinha um apelo popular para divulgar os serviços gratuitos de acesso a Internet gratuita no país.

    Videozinho da nova fase do iG, agora em azul e com Banda larga (ufa! pensei que fosse outra coisa)

    300 (mil) e a odisséia começa ...

    4/06/2010


    Em seu primeiro dia de lançamento, o iPad, a mais esperada novidade da Apple do período, conseguiu bater a marca das 300 mil unidades vendidas, segundo relatório divulgado pela própria companhia. De acordo com a Apple, as vendas do tablet correspondem às entregas que já haviam sido pré-encomendadas via internet e à procura da novidade nas lojas.




    De acordo com a previsão de analistas norte-americanos, as vendas do iPad poderão alcançar a marca de 5 milhões de unidades no período de um ano. A expectativa supera a previsão inicial feita por especialistas assim que a Apple apresentou o seu novo aparelho ao mercado.

    Ainda na contabilidade do primeiro dia de desempenho do iPad, os analistas calcularam que os primeiros donos da novidade já fizeram, aproximadamente, dowload de um milhão de aplicativos oferecidos na App Store. Ainda não há previsão oficial da Apple para a disponibilidade do iPad no mercado brasileiro.

    Com informações da Reuters e do M&M Online.

    Brasileiros reconhecem relevância da publicidade

    Por Robert Galbraith do M&M Online
    05 de Abril de 2010 às 10:26




    A imagem da publicidade e seus protagonistas está em alta. É o que indicará pesquisa do Ibope que a Associação Brasileira das Agências de Publicidade (Abap) apresenta esta semana no Rio de Janeiro durante a 7ª edição do Encontro Brasileiro das Agências de Publicidade (Ebap), que acontece nos dias 8 e 9, na sede da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). 






    Segundo dados apurados por Meio & Mensagem, mais dois terços dos entrevistados afirmam que a publicidade tem um papel relevante e positivo em suas vidas, assim como a maioria expressa admiração pelos profissionais da área. O resultado é considerado uma importante demonstração de que a classe conseguiu superar o trauma de cinco anos atrás quando o escândalo do Mensalão arranhou a imagem da categoria.

    Com 350 inscrições, o Ebap está com lotação esgotada há duas semanas, restando lugares apenas na lista de espera para preencher eventuais desistências. "Esse recorde de inscrições superou todas as nossas expectativas e mostra a capacidade de mobilização da Abap, que desde o IV Congresso vem conseguindo reunir as agências na luta por uma melhor governança de toda a indústria da comunicação. Esta postura vem resgatando o valor da propaganda e o papel fundamental das agências como emuladoras no processo criativo de construção e posicionamento de marcas", diz Luiz Lara, presidente da Abap.

    Com o tema principal "O futuro e a rentabilidade das agências", o Ebap deste ano também apresenta os vencedores da primeira edição do prêmio Ícones que elegeu Roberto Civita, presidente do Grupo Abril; Roberto Irineu Marinho, presidente das Organizações Globo; e Ruy Mesquita, diretor de opinião do jornal O Estado de S.Paulo, conforme adiantou o M&M Online na semana passada (veja aqui). Sócios de três dos principais grupos de comunicação brasileiros, eles foram escolhidos pelos associados da Abap como símbolos de inovação, conteúdo e liberdade. Os troféus serão entregues na noite do dia 8 de abril no Palácio Laranjeiras, sede do governo do Estado do Rio de Janeiro, durante o jantar de abertura do Ebap. No dia seguinte, a homenagem será pelos 30 anos do Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar) com a presença do atual presidente, Gilberto Leifert. 

    Descanso não foi feito pra mim ...

    4/05/2010
    Parece que parei de trabalhar a um mês.....

    Olá, PQDs!

    Não os saúdo com bom dia, boa tarde ou boa noite por que na internet não tem tempo pra leitura. Durante o dia, em que andei quase 300km, conheci maneiras e maneiras de se fazer campanha publicitária.

    Visitei no findes o Hotel Fazenda Pousada do Tucunaré, lugarzinho digno, compensa ler o post debaixo. No local encontrei pessoas muito dignas, mas pessoas que nem sempre merecem tanta atenção, mas lá como tem muita coisa pra fazer, e eu não tava lá afim .. dei atenção.

    Percebi que se tratava de uma pseudo-celebridade tentando arrumar reforços para se tornar uma realmente, coisa de gente que realmente acha que a gente faz quatro anos, faz pós, faz mestrado, gere pessoas pra trabalhar de graça pra eles.

    O que me deixa mais cheio de rancor é a pessoa se vitimizar. Meu, não tem .... não tem .. não vem dizer que ai .. isso ou aquilo.

    Roupa suja lavada, estou longe de querer ser uma celebridade, ou uma pseudo ... kkkkkkkkk, afinal estou aqui pra simplificar a vida, a minha inclusive.

    Chega de falar de mim e vamos ao que interessa, em 2001, com o início da campanha feito pra você, o Banco Itaú S.A. tem por objetivo se aproximar do público-alvo do banco, que na época era toda e qualquer pessoa que buscasse um banco sob medida. Não falamos de bancos do tipo Personalité ou com serviços de investimento, mas um banco comum, que ouvia seus clientes.

    Durante a década de 10, o Banco lançou várias ações que fidelizaram a coloração do banco, a marca, e o slogan. A que mais me chamou atenção foi uma série de outdoors colados em pontos diferentes dos grandes centros. A única intenção, ou objetivo, era fazer com quem visse as placas se identificasse de uma vez com a instituição.

    Utilizando de adjetivos comuns a campanha é até hoje case estudado, como recentemente uma dissertação de mestrado da Unimar, e serve para abrir os olhos para o que os profissionais das grandes capitais estão fazendo.



















































    Dias de descanso...

    4/02/2010
    Olá, PQDs!

    Difícil postar do lado do rio, mas cá estou! Em momentos de descanso, não consigo deixar por NADA, o MBP e muito menos o blog. Consegui um MODEM 3G, e lá vai mais um postzinho.

    Direto da Pousada do Tucunaré. É claro, que você que lê, deve estar se perguntando.. Onde fica isso?!

    Estou no estado do Pantanal, Mato Grosso do Sul, na Costa Leste, na cidade de Três Lagoas. Um local a 25 minutos da cidade, mas com cara de NATUREZA.

    A hospedagem é ótima, quartos com ar condicionado, camas de casal e solteiro, água por aqui não falta. As margens do Rio Sucuriu, com um pôr e nascer do sol perfeitos.



    O que mais me encantou no primeiro dia foi a sugestão do chefe, O PESCADOR, um prato composto de um tucunaré INTEIRO, frito e acolchoado em um prato de legumes na manteiga, com fritas e arroz.


    Revi velhos amigos, como Ivana, super top executive manager e uma das mascotes da pousada, a papagaia EMANUEL, acredite, se chama Emanuel. E a arara até agora sem nome ...  Agora com fotos por conta da internet que resolveu dar o ar da graça .... Fotos .. vcs já sabem .. kkkkk





    Coisas que talvez dêem certo

    4/01/2010
    Olá, PQDs!

    Durante o dia de ontem tive certeza que adoro o que faço. Depois de visitar laboratórios de Anatomia e Eletro (qualquer coisa, que eu não me lembro agora), tive certeza que não nasci praquilo. Mesmo com coordenadores me dando apoio para uma "visita" até as cubas, eu gelei.

    Já quero agradecer  os Thiagos Machado e Miyazaki, o Elias e o Lucas do segundão de PP, que fizeram até o impossível para ajudar na gravação.

    Sei que pra mexer com a área de saúde tem que ter gosto, assim como para trampar com propaganda. A gente na verdade quase se parece muito. Analisamos um produto, traçamos possíveis diagnósticos e vamos além, quando damos até prognósticos de melhora. A parte ruim: Não tem tanta gente bonita e bem arrumada nos bastidores da propaganda. A parte boa: A gente acerta em 99,9% nos prognósticos.... e se você errar .. ninguém vai morrer. Tirando o lado sarcástico, a gente não trabalha uniformizado. Afinal defendemos uma única marca: a nossa.

    Isso me fez lembrar de uma campanha que foi lançada em dezembro de 2009, para um público beeeem específico. A Topper, depois de se remodelar, resolveu que tinha que vestir a Seleção Brasileira de Rugby. FATO: eles existem, dúvida?! clica aqui


    Pouco disseminado no Brasil, o rugby é o segundo esporte de equipes mais popular do mundo. A Copa do Mundo da modalidade tem a terceira maior audiência da televisão mundial, ficando atrás apenas da Copa do Mundo de futebol e das Olimpíadas.

    Em 2016, no Rio de Janeiro, o rugby reaparecerá como modalidade oficial das Olimpíadas com a categoria seven’s – fato que não ocorre desde 1928, em evento realizado em Amsterdã. Trazido para o Brasil no século passado por Charles Miller, que também apresentou o futebol ao País, a modalidade certamente ganhará ainda mais destaque no cenário mundial e principalmente no nacional.





    “A Topper é uma marca com tradição no rugby. Atualmente, patrocinamos grandes equipes na Argentina e acreditamos que a modalidade também tem potencial para crescer no Brasil, especialmente com a visibilidade do esporte nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro”, comenta o diretor de Marketing da Topper, Ricardo Matera. Além de patrocinar a Unión de Rugby de Buenos Aires, a Topper patrocina na Argentina as equipes CASI, Los Matreros e Hindu Club, esta última atual campeã nacional.

    “Essa parceria entre Topper e a seleção brasileira marcará a história do rugby no País. Pela primeira vez a seleção terá um patrocínio que permitirá maiores investimentos para o desenvolvimento do rugby” disse Sami Arap Sobrinho, Diretor do GRAB (Grupo de Apoio ao Rugby Brasileiro) entidade responsável pela coordenação dessa parceria. Já o Presidente da Associação Brasileira de Rugby Aluísio Dutra Jr finaliza dizendo “O relacionamento com a Topper nos dá confiança na expansão dos horizontes do esporte, contribuindo com a formação de novas equipes, a entrada de mais adeptos e o surgimento de novos talentos. Desta forma, podemos até sonhar com conquistas na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro”.


    Brasil fechará 2010 como 6º maior da mídia mundial


    País volta a ser oitava maior economia do mundo, e mídia deverá fechar o ano à frente de França e Itália, já se aproximando do Reino Unido

    Por Eliane Pereira e Felipe Turlão do M&M Online
    Se considerados os investimentos em mídia, o Brasil ocupou em 2008 a oitava colocação, atrás justamente das sete maiores economias do mundo, de acordo com levantamento do bureau de mídia GroupM, que pertence ao grupo WPP, o maior do mercado publicitário. 

    E de acordo com as previsões mais recentes, o País deverá galgar mais duas posições até o final de 2010, ultrapassando Itália e França, ficando atrás apenas de, pela ordem, Estados Unidos, Japão, China, Alemanha e Reino Unido. 

    Clique aqui para ler a análise de executivos dos principais veículos sobre o desempenho da mídia no País em 2009 e as perspectivas para 2010.

    O GroupW levantou ainda o investimento que se faz em mídia per capita, o que demonstra que o Brasil tem muito espaço para crescimento. Os Estados Unidos investiram em 2008 US$ 518 para cada cidadão do país, enquanto o Brasil ficou com US$ 64 por cabeça, um número que deve saltar para US$ 78 até o final de 2010. No Japão, a média per capita chegou a US$ 407, contra US$ 27 da China. 

    Mesmo sendo o terceiro maior mercado da publicidade, os asiáticos tem uma população de 1,3 bilhão, o que leva a média para baixo. Dentre os europeus, a Alemanha investe em média US$ 311, o Reino Unido outros US$ 343, a França US$ 256 e a Itália US$ 250.

    No que tange à economia como um todo, dados da consultoria britânica Economist Intelligence Unit divulgados pelo jornal Folha de S. Paulo nesta semana mostraram que o Brasil voltou a ser a oitava maior do mundo, de acordo com o PIB em dólares de 2009, que chegou a US$ 1,53 trilhão. Em 2007, o país estava na 10ª posição, atrás de Espanha e Canadá, e em 2008 chegou ao nono lugar. 

    O ranking de PIB, segundo a Economist Intelligence Unit, é liderado por Estados Unidos, com US$ 14,26 tri, seguido por Japão (US$ 5,07 tri), China (US$ 4,91 tri), Alemanha (US$ 3,35 tri), França (US$ 2,68 tri), Reino Unido (US$ 2,19 tri) e Itália (US$ 2,12 tri). Atrás do Brasil estão Espanha, Canadá, Índia e Rússia.

    Confira tabela com os investimentos em publicidade de 2008, 2009 e 2010 (em bilhões de US$). 


    2008
    2009 (Previsão)2010 (Previsão)
    1º EUA – 157,6331º EUA – 144,9751º EUA – 138,752
    2º Japão – 52,0122º Japão – 49,1842º Japão – 48,707
    3º China – 35,2233º China – 38,1813º China – 42,771
    4º Alemanha – 25,5464º Alemanha – 23,8314º Alemanha – 23,345
    5º Reino Unido – 21,0315º Reino Unido – 18,5965º Reino Unido – 18,624
    6º França – 15,9426º França – 13,6816º Brasil – 15,161
    7º Itália – 14,8637º Brasil – 12,824*7º França – 13,056
    8º Brasil – 13,1258º Itália – 12,3868º Itália – 12,320
    Fonte: Group M e Projeto Inter-Meios.
    *Valor de 2009 fechado pelo Projeto Inter-Meios